Categorias

tweets

    Carregando Tweets...

Siga @pacerlogistica

Visualizando categoria: Transportes

  • 29
  • jun

Impactos da Fiscalização no Transporte de Cargas

blog-29-06

A SEFAZ ou Secretaria da Fazenda é o órgão que fiscaliza todas as empresas em relação ao recolhimento do ICMS. Os caminhões são parados (geralmente nas barreias dos estados) e é realizado todo o procedimento da fiscalização que tem o objetivo de verificar se as empresas estão com os impostos devidamente recolhido. A consulta é realizada através do CNPJ registrada no DANFE.

Se a empresa (remetente ou o destinatário) estiver em débito com a Receita Federal, a mercadoria fica retida na barreira e em seguida a SEFAZ notifica a empresa devedora para que seja realizado o pagamento dos impostos. Nesse caso, poderá ter também cobranças de multas caso forem encontradas informações divergentes, como por exemplo, a natureza da operação preenchida de forma errada e outros.

A mercadoria é liberada logo após o pagamento do débito. Contudo, também é possível contestar o pagamento, mas para isso a empresa precisa comprovar que os impostos já foram recolhidos e pagos e assim, a mercadoria é liberada logo em seguida.

Como isso pode afetar no transporte?

Se uma transportadora está sendo fiscalizada e leva várias NF-es de diferentes embarcadores e apenas um esteja irregular, todos os outros também serão penalizados, pois a Receita Federal irá segurar todas as cargas, por conta dessa empresa.

Para acelerar parcialmente o processo, existe um procedimento com as transportadoras chamado fiel depositário que consiste em:

– A transportadora é notificada pela fiscalização;

– A mesma segue com a carga com a responsabilidade de não liberar a mercadoria até que a empresa realize o pagamento dos impostos atrasados.

Contudo, se a transportadora liberar a carga sem autorização, ela será multada.

Para que sua empresa não tenha preocupações. Conte com a PACER para lhe ajudar a transportar sua carga com segurança.

Visualizando categoria: Transportes

  • 10
  • dez

Conheça as principais cargas transportadas pelo modal aéreo

blog_cargas transportadas modal aereo

O frete aéreo geralmente é indicado para produtos e necessidades específicas. Por isso, antes do envio é interessante conhecer os tipos de categorias das cargas e os principais itens transportados por esse modal.

Cargas urgentes

Quando o tempo é curto, o frete aéreo é a melhor opção para transportar a mercadoria, que pode variar de documentos que precisam chegar no mesmo dia às mãos do destinatário a medicamentos e materiais hospitalares que precisam chegar com hora marcada.

Entre os vários itens embarcados como urgentes por companhias aéreas de carga, destacam-se:

– Alimentos perecíveis, principalmente exóticos e raros, flores e arranjos, e outras cargas de rápida deterioração;

– Medicamentos e vacinas, principalmente em casos de epidemias ou campanhas de vacinação;

– Revistas, jornais e periódicos em geral, de entrega diária ou semanal;

– Equipamentos médicos e de primeiros socorros, insumos hospitalares e órgãos para transplantes;

– Cargas resfriadas ou congeladas para uso em curto período de tempo;

– Peças e itens de reposição imediata.

Cargas valiosas

Esse tipo de produto, principalmente quando possui dimensões pequenas, normalmente é transportado pelo modal aéreo. Há casos em que o valor da mercadoria é tão alto, que os custos de envio são baixos se comparado ao preço de venda. Entre eles estão:

– Joias, metais e pedras preciosas e seus artefatos;

– Máquinas avançadas e componentes eletrônicos de alto valor e tecnologia;

– Ferramentas de precisão ou sob encomenda;

– Itens e materiais para exposição em feiras e eventos, em especial para mostruário;

– Obras de arte e todo tipo de peça única.

Cargas restritas

Cargas restritas e perigosas de volume pequeno muitas vezes são enviadas por via aérea, com todo o aparato de segurança incluído. Alguns exemplos são:

– Produtos químicos de uso controlado;

– Explosivos;

– Isótopos radioativos.

Produtos diversos

Há ainda uma série de produtos que podem ser transportados por outros modais foram remetidos por avião por questões estratégicas. Essa última categoria inclui:

– Cargas vivas e animais;

– Artigos frágeis em geral;

– Peças de máquinas ou carros esportivos e de luxo.

A PACER TRANSPORTES realiza o envio de mercadorias no modal aéreo para todo território nacional. Confira os materiais que a PACER não transporta.

Visualizando categoria: Transportes

  • 26
  • out

Nota fiscal para o transporte de mercadorias

blog_nota fisca_transporte

Toda e qualquer mercadoria precisa de nota fiscal para ser transportada, seja o destinatário pessoa física ou jurídica. Nessa postagem mostraremos por que esse processo é importante.

As empresas precisam apresentar nota fiscal das mercadorias transportadas ou vendidas, mesmo se o produto não estiver sido comercializado. Um dos motivos é a questão contábil. Cargas que não têm declaração de valor relacionada a elas não podem ser asseguradas. Além disso, ao passar pela fiscalização, estão expostas ao risco de serem apreendidas. Também precisam da nota fiscal na hora do transporte mercadorias como amostra grátis, brindes, doações e outros.

Para pessoa física, é possível emitir notas avulsas, inclusive na versão eletrônica – Nota Fiscal Avulsa Eletrônica – NFAe. Para emiti-la o interessado deverá informar os dados em um formulário eletrônico na internet e imprimir a nota fiscal, quando do deferimento automático, ou aguardar sua análise para posterior emissão.

Precisa transportar e não sabe como emitir nota fiscal? A PACER TRANSPORTES pode ajudar! Entre em contato com a nossa Central de Atendimento.

 

Visualizando categoria: Transportes

  • 05
  • jun

Porque há postos de pesagem de caminhões nas estradas?

pesagem_caminhões

 

É comum encontrar postos de pesagem de caminhões nas estradas de diversas regiões do Brasil. Esse sistema de fiscalização serve para evitar o excesso de carga sobre os eixos do caminhão, evitando danos na pista das estradas.

Os prejuízos anuais devido ao excesso de peso podem chegar até 2% do PIB sem essa fiscalização, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Existe uma tabela de carga máxima por tipo de eixo que deve ser obedecida. Se o peso não estiver correspondendo com o limite permitido durante a fiscalização, o motorista fica sujeito a multas e punições.

Conheça outros motivos para se manter e ampliar os postos de pesagem de caminhões nas estradas:

– O excesso de cargas nos caminhões faz com que a velocidade do veículo seja diminuída em rampas e subidas, ocasionando trânsitos nas rodovias;

– A capacidade de frenagem do caminhão pode ser prejudicada, devido ao excesso de peso, e pode ocasionar graves acidentes, principalmente em estradas perigosas e em dias chuvosos;

Fonte: Portal CargoBr

Visualizando categoria: Transportes

  • 19
  • maio

Gestão de frete eficiente é fundamental para a lucratividade

gestao de frete

Para maior eficiência nas operações, é cada vez maior a importância tanto da qualidade dos serviços quanto dos prazos de entrega e da redução de extravios e avarias, assim como  dos custos.

Mostraremos algumas dicas para uma gestão de frete mais eficiente:

1 – Inbound e Outbound:

– Separe a gestão de fretes em dois grupos: custos relativos aos fretes pagos nas compras (inbound) e fretes pagos nas vendas com as entregas a clientes (outbound).

2 – Nos fluxos inbound é preciso identificar:

-Principais fornecedores e cidades onde se localizam;

-A distância entre fornecedores e sua empresa;

-O peso, as dimensões e a frequência de compras;

-O custo de frete envolvido com esses fornecedores;

-A existência de outros custos que são acrescentados aos custos de fretes;

-O impacto do custo total do frete sobre o valor do item comprado.

3- Nos fluxos outbound é importante identificar:

-Os principais locais de entrega;

-A distância entre os locais de entrega e sua empresa;

-O peso, as dimensões e a frequência de entrega;

-O custo de frete envolvido nas principais operações de entrega;

-O impacto do custo do frete sobre o valor do item vendido.

4 – Análise das tabelas vigentes:

-Geralmente as tabelas de fretes inbound e outbound apresentam diferenças não só de tarifas, mas também de configuração na formação do preço. Desse modo, é necessário analisá-las separadamente;

-Selecione os principais fluxos e entenda a composição das tarifas. Analise alguns fretes cobrados pela transportadora e compare esses valores com o que consta na tabela;

5 – Negociação com transportadores:

-Desenvolva mais de uma transportadora para cada fluxo importante;

-Tenha foco nos principais fluxos (compras e vendas) de seu negócio;

-Simplifique a tabela de fretes. Quanto menos houver componentes na formação do preço, mais fácil será realizar a análise e avaliação dos custos;

-Estabeleça critérios claros de avaliação de desempenho (nível de serviço), estrutura operacional e custos e realize cotações periódicas com transportadoras atuais;

-Avalie o impacto do frete sobre o faturamento da empresa e compare esse resultado com as práticas do mercado.

6 – Auditoria e avaliação de custos:

-Verifique se os valores negociados estão sendo praticados pelas transportadoras (auditoria de fretes) e como os custos de fretes estão se comportando em relação ao faturamento. Para isso é necessário fazer uma análise técnica, pois o crescimento do custo do frete pode ser gerado não somente pelo aumento de tarifas.

Fonte: Portal Logweb

Visualizando categoria: Transportes

  • 24
  • mar

Entenda sobre o cálculo de cubagem

A cubagem é um termo bastante utilizado no segmento logístico. É um calculo matemático simples que verifica a relação entre volume e peso de uma mercadoria para a distribuição do peso da carga para a acomodação no baú de um caminhão.

Custo x Espaço: cargas que possuem pesos muito diferentes podem ter custos de fretes parecidos. No modal rodoviário, a capacidade de peso na maioria das vezes não apresenta tantos problemas, porém, o mesmo não se pode dizer do espaço. Por exemplo, um caminhão que tenha capacidade máxima de carga de 20 toneladas consegue carregar 20 toneladas de chumbo, pois, o volume a ser ocupado no caminhão com esse peso seria pequeno. Contudo, não conseguiria transportar no mesmo caminhão 20 toneladas de algodão, porque, o volume ocupado no que se refere a essa carga é imensurável.

Fator Cubagem:  é definido para um volume equivalente a um metro cúbico transportado. No caso do transporte rodoviário, o fator de cubagem padrão na hora de calcular corresponde a 300 kg por metro cúbico.

Cálculo da cubagem: é a fórmula do cálculo que é considerada as três dimensões da mercadoria (altura, largura e comprimento) e o fator de cubagem. No que se refere a cargas fracionadas, também precisa ser considerado o número de volumes na hora do cálculo: Altura x Largura x Comprimento x (volume de mercadorias) x 300 (fator de cubagem).

Por exemplo, se for transportado 5 caixas com 55 cm de largura e comprimento e 20 cm de altura com 25 kg cada uma – apesar de contar com uma carga de 125kg – o espaço ocupado é de apenas equivalente a 90,75 kg de carga no fator de cubagem, aplicando a fórmula:

 0,55x 0,55 x 0,2 x 5 x 300 = 90,75 kg

Fonte: Portal CargoBr